Revista Universo Místico

Autoconhecimento, bem-estar e espiritualidade

O poder das Mandalas

Elas podem estimular a mente e equilibrar as emoções

Desde os tempos mais distantes até os dias de hoje, as mandalas são utilizadas como focos de meditação para atrair abundância material e sorte nos negócios, para amenizar as dificuldades, para captar energia, harmonizar o ambiente e transformar vibrações negativas em positivas.

Elas estão todos os lugares: nas flores, nas conchas do mar, nas sementes do kiwi e nas íris dos olhos. Faça um exercício e observe tudo ao seu redor, as formas mandálicas estão em toda parte.

A palavra “mandala” vem do sânscrito, e significa “círculo” “essência” + “ter” ou “conter”, sendo criada como instrumento de concentração e meditação. De origem Hindu este termo tem sido utilizado em diversas interpretações e religiões: como no próprio hinduísmo, judaísmo, cristianismo, budismo (sobretudo no Tibete e no budismo japonês) e principalmente no Feng Shui.

Constituída por círculos compostos de elementos geométricos, simbólicos e de cores que representam interação do macro e do microcosmo. Descrita como “círculo mágico”, a mandala sempre serviu de elemento integrador entre a realidade aparente e as esferas divinas.

É ao mesmo tempo a imagem e o motor da ascensão espiritual, reintegrando o eu ao todo e o todo ao eu. É assim, uma imagem própria para conduzir à iluminação aquele que a contempla. Podendo alterar as vibrações daquilo que suas emanações atingem. Quando fazemos contato visual com uma mandala nossa energia se altera e essa modificação é sempre positiva e harmonizadora.

O campo de força de uma mandala modifica a nossa energia em vários níveis. Ela estimula a mente, equilibra as emoções e ativa os processos físicos, ajudando a restabelecer sua função plena. Na meditação ou a observação do desenho pressupõe que se abandone o plano do pensamento e se atinja o inconsciente, onde emergem os símbolos, arquétipos, códigos e sinais.

Ela também é usada na psicologia, pois estes símbolos e sinais que emergem do inconsciente do paciente. Inclusive, Jung foi precursor no uso das mandalas como fonte de conhecimento da psicanálise de seus pacientes.

Este processo também ocorre com o ato de desenhar uma mandala dentro do círculo, são espontâneas, e isso é uma importante manifestação do inconsciente. Já as racionais são criadas a partir de uma simbologia, com uma finalidade determinada.

Elas são elaborações da razão, na maior parte das vezes são montadas sem muita inspiração inconsciente, por isso são chamadas de racionais. Exemplo de mandalas racionais: Mandala da sorte, Mandala para saúde e Mandala da prosperidade, etc.

Além de decorativas, as mandalas podem ser feitas com cores que ativam os nove setores da vida: trabalho, espiritualidade e conhecimento, família, prosperidade, sucesso, relacionamentos, criatividade, amigos e saúde. Proporciona energia circular, graças a sua forma redonda.

É importante conhecer um pouco das cores, e seus benefícios que podem ser usadas em todos os ambientes
Veremos a seguir algumas cores:

Vermelho
Age altamente, é estimulante!

Amarelo
Liberta de medos e temores.
Traz alegria e sensação da luz solar.

Laranja
Fortifica o ânimo de viver, energia e alegria.

Verde
Traz harmonia e trabalha a cura física e no ambiente.

Azul
Faz com que se obtenha calma e força.
Ajuda a reduzir a insônia.

Índigo
Auxilia para a consciência
intelecto-espiritual e descanso.

Violeta
Trabalha a espiritualidade e transmutação de energias.

Lilás
É calmante e bom para a meditação.

Rosa
Permite que vivenciamos o amor ao próximo.

Há outros fatores importantes para se observar em uma mandala, a numerologia e a geometria que são analisadas de acordo com suas simbologias. Aliada às vibrações numéricas e geométricas, possui as emanações das cores que estão em seu espaço. As cores têm uma função terapêutica e estimulante. É importante conhecer a energia emanada pelas cores para saber como elas irão atuar no desenho.

No Oriente, a criação das mandalas quase sempre fazem parte de um ritual que visa movimentar energias das divindades. São consideradas sagradas.

No Ocidente as mandalas são criadas para uso arquitetônico e decorativo, são poucos os que conhecem sua importância vibracional, embora hoje, muitos estão buscando o real entendimento desses belos desenhos com vibrações tão poderosas.

Com todas essas informações é importante saber os benefícios que uma mandala traz quando exposta num ambiente:

  1. Modifica a nossa energia, fazendo com que nos conectemos com a nossa essência;
  2. Permite um trabalho de meditação ativa;
  3. Proporciona fluidez com o mundo exterior;
  4. Ajuda a expandir nossa consciência, elevando a nossa energia;
  5. Nos ajuda a desenvolver a paciência;
  6. Aumenta nossa intuição e segurança;
  7. Melhora a auto-estima e auto-aceitação;
  8. Ajuda na cura física, emocional e psiquicamente;
  9. Recobra o equilíbrio e permite a concentração;
  10. Nos provê de intuição criativa, sossego, harmonia e calma intensa.

As mandalas podem e devem ser usadas em qualquer ambiente, para harmonizar, modificar a energia, transmutar energias densas e decorar o ambiente com sua beleza contagiante.

Significado das Mandalas para os Monges Tibetanos

Antigamente, as mandalas de areia eram preparadas dentro de monastérios e pouquíssimos eram os homens que poderiam se fascinar com a beleza das cores e das figuras. A partir de 1984, o Dalai Lama, líder espiritual tibetano, decidiu que elas não deveriam mais ser secretas, mas servir como instrumento para resguardar e propalar a cultura tibetana. 

Os monges tibetanos ficam horas ou mesmo semanas investindo na criação de suas mandalas, sempre com areia colorida. Após algumas cerimônias, uma parte da areia é distribuída para o público e o restante é jogada em um rio, para que as bênçãos se espalhem. Seu objetivo é ressaltar a inconstância da vida, e simbolicamente espalhar a paz e a cura do mundo mentalizada pelos monges.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será compartilhado.